Lena Lustosa
CapaCapa
TextosTextos
FotosFotos
PerfilPerfil
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
Textos


Ciúmes
 
Faca de dois gumes,
Todos têm, pois é
Dificil aceitar que
Ninguém é de ninguém.

Se pouco é descaso,
Quando muito, cria caso,
Alguns, só Deus na causa, pois
Têm ciúme até de brinquedo quebrado!

O ciumento não aguenta,
Sem querer até inventa
Traições de ocasião,
Provocando desilusão.

Na sua vã e cega busca,
Cutuca com vara curta,
Procurando um motivo,
Pra própria felicidade acabar.

Vê na verdade segredos,
Constrói enredos,
Alimenta-se do medo,
Suspeita de um simples olhar,
Do andar e até do calar.

Por não acreditar do amor ser digno,
Tem ciúme até do umbigo,
O ciúme pode até ser divino,
Mas provoca tantos desatinos,
Que, às vezes, penso ser coisa do "malígno".

Prefiro ficar longe desse bichinho
E seguir o "ditado" de minha mãe que dizia:
"Sapatinho que usei no monturo já joguei
Não me importo que tu gozes daquilo que já gozei".
Lena Lustosa
Enviado por Lena Lustosa em 13/05/2018
Alterado em 13/05/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários